Arquivo da tag: nova cultural

Linha de Chegada – Anna Karênina de Liev Tolstói

Olá pessoas!
Cheguei para falar das minhas subjetividades a respeito de Anna Kerênina, clássico de León Tolstoi que terminei ontem mesmo.

Minha edição de Ana karênina, pela Nova Cultural

Somos iniciados à leitura com uma das frases mais famosas da literatura universal: “Todas as famílias felizes são parecidas entre si. As infelizes são infelizes cada uma a sua maneira.”
Dos créditos de autoria, Tolstói se revela um sábio, com personalidades extremamente bem construídas e temas como o papel da mulher perante a sociedade e outros valores como a fidelidade, a crença religiosa, política, e a importância da educação e do conhecimento, o autor faz de Anna Karênina um texto atemporal.

Entre duas cidades, Moscou e São Petesburgo, muitos personagens são apresentados e vários núcleos vão ganhando forma. Detalhe, alguns nomes russos são impronunciáveis. Dividida em oito partes, narra o romance proibido entre o conde Vronski e a protagonista adultera, na Rússia Czarista. Passando por valores sociais e políticos da época, os dilemas vividos por uma mulher desonrada perante a sociedade é o centro desta complexa novela que também envolve outros relacionamentos e suas complicações, como os casais: Dolly e Stiepan Arcádievitch (irmão de Anna Karenina), e Liêvin e Kitty (irmã de Dolly).

A maneira como Tolstói descreve o peso das situações é altamente psicológica, quero dizer, é possível sentir fortemente o que se passa na cabeça de Anna, a difícil reflexão entre o símbolo familiar que o matrimônio representa e a sua felicidade, supostamente presente nos braços de Vronsky, e o quanto isso lhe atormenta. Ciúmes, casamento e traição, são alguns dos aspectos que norteiam este livro que termina tragicamente em cenário de guerra.

O livro é ótimo, e apesar de não ser um dos meus favoritos, considero indispensável, pela importância do título e pela imponente escrita do Tolstói. Não sei se devo, mas a sensação que experimentei ao terminar a leitura foi de orgulho rs.
Confesso que demorei mais que o normal para ler este livro, que é provavelmente o maior que já li. Minha edição é da Nova Cultural. É linda, mas de formato bastante grande, o que dificulta o manuseio e faz com que seja demorada a leitura de uma mesma página. Muitas vezes isso me incomodava.

Poster da mais recente adaptação cinematográfica de Ana Karênina.

Acho que não contei aqui, mas os motivos que me fizeram ler esta obra foram: encontrei essa edição por R$ 15,00 num sebo, nunca havia lido nada de literatura Russa e o fato de que sairá mais uma adaptação para o cinema, e desta vez, com o sorriso lindo da Keira Knightley. Não aguento de expectativa pelo filme, que tem sua estréia mundial marcada para 09 de novembro deste ano.

Ps: Passei o livro todo imaginando a Anna Karenina como a Keira, isso limita um pouco a imaginação, mas foi inevitável e impossível conter.

Vale conferir o post feito no período em que eu lia o livro, tem algumas informações diferenciadas e também um pouco menos subjetivas: https://leitorcompartilhado.wordpress.com/2012/07/11/em-andamento-ana-karenina/

Peço desculpas se o texto não condiz com a grandiosidade da obra, mas de fato, é muito difícil falar dos clássicos.
Espero que gostem e comentem, é um prazer responder os comentários.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Leituras Concluídas

Em Andamento – Ana Karênina

Olá! Esta sessão trata do anúncio do(s) livro(s) que estou lendo no momento, e consequentemente, de futuras postagens do blog. Neste caso, venho para falar do famoso ‘Ana Karênina’ de Liev Tolstói.

Liev Tolstói

Do autor:
O Conde Liev Tolstói, também conhecido como Léon Tolstói (1828-1910), é reconhecidamente, um dos maiores escritores russos do século XIX e um dos grandes da história da literatura mundial. Pacifista, anarquista cristão e autor de clássicos como ‘Guerra e paz’, Tolstói levou, na juventude, uma vida de jogos, bebida e mulheres. Quando adulto, preocupado com a precariedade da educação no meio rural, fundou uma escola para filhos de camponeses, casou-se e gerou 13 filhos. Embora bem sucedido e  famoso, viveu atormentado pelos questionamentos a cerca do sentido da vida. Morreu de pneumonia aos 82 anos de idade enquanto fugia de sua casa em busca de uma vida simples.

Da obra:
Publicado entre 1873 e 1877, a obra narra os conflitos extraconjugais vividos pela protagonista na Rússia Czarista.  Rica, bonita, mãe e esposa, Ana se sente vazia, e, arrebatada por uma paixão proibida, se envolve cada vez mais em uma trama de mentiras e controversas.

Da edição:
Minha edição de Ana Karênina, traduzida por Mistes Ugeda, foi um achado. Publicada em capa dura pela Nova Cultural (2003), custou-me R$ 15,00 em um sebo aqui de Curitiba. 654 páginas brancas em formato grande. Enfim, julgo a compra bem sucedida porque o título é uma clássico e a edição é linda.

Edição de Ana Karênina pela Nova Cultural

Essas são algumas e breves informações a respeito deste clássico que estou tendo a oportunidade de ler. Se você já leu Ana Karênina, comente sua experiência (avisar spoilers). Se não, comente também.
Assim que terminar a leitura, eu volto para contar o que achei do livro.
Inté!

2 Comentários

Arquivado em Em Andamento