Arquivo da tag: Especial

Balanço do mês de Março [2013]

Tudo que assisti, li e ouvi neste mês pascoal.

Filmes:.

movies março

Até que enfim assisti dois dos maiores clássicos do Hitchcock, ‘Os pássaros’ e ‘Psicose’, gostei muito do primeiro (apesar de achar o roteiro meio fraco para um Hitchcock) mais até do que o segundo, mas Um Corpo que Cai continua sendo, ao meu ver, o melhor de todos. ‘The Cabin Woods’ (O Segredo da Cabana) foi uma surpresa, absurdamente diferente do que eu esperava, uma viagem completa, mas ainda assim uma boa maneira de passar o tempo.  ‘Priscilla – a rainha do deserto’ é sensacional, não sei se é uma comédia ou musical, ou ambos, ou nenhum dos dois… o fato é que os diálogos são ótimos, a história é hilária e merece muito muito ser visto. Continuo na minha meta de ver toda a filmografia do Tarantino, e o filme da vez foi ‘Reservoir Dogs’ (Cães de Aluguel), que ao meu  ver é um dos melhores do cara; é incrível o clima deste filme, as referências, os diálogos e a forma como a trama é contada. Sobre Pina, é uma delícia visual, faz bem para o espírito, para os ouvidos, para os olhos, é um banho de coisa boa; as cores, os movimentos e a trilha sonora deste filme/documentário são grandiosos (obs: tem música do Caetano na trilha ;). E por fim, ‘In The Name of The Father’ (Em Nome do Pai) uma história forte, de deixar marcas e com a ótima atuação do Day Lewis; um filme emocionante e revoltante.

Livros:.
Este não foi um mês de grandes leituras, nada que tenha provocado algo duradouro. Três dos quatro livros que li em março já foram comentados aqui no blog, pretendo compartilhar minhas impressões acerca de ‘Resgate do Mar’ de Richard Bach, ainda esta semana.
livros março
Post sobre A Revolução dos Bichos: aqui
Post sobre O Colecionador: aqui
Post sobre Os Elefantes não Esquecem: aqui

Séries:
Faz aproximadamente dois meses que esta categoria não aparace por aqui, isto porque eu tenho visto várias séries, mas não terminei nenhuma, como a primeira temporada de America Dad (que ainda estou assistindo), A primeira temporada de Game of Thrones (No quarto episódio ainda), a quarta temporada de The Big Bang Theory e a quinta temporada de Lost… Tudo pela metade…  Entretanto, neste último doce mês, fui apresentado a uma série chamada Parks and Recreation, que é engraçadíssima e diferentona  (gravada na forma de documentário), como a primeira temporada tem apenas seis episódios, foi rapidinho de terminar. E para terminar, The Walking Dead e seu decepcionante episódio final, sinceramente eu esperava muito muito mais, queria ver os conflitos solucionados, o Hershel morto, o governador também, e aquele povo todo caindo fora daquela prisão e voltando para a estrada. Continuo achando a segunda temporada de Twd a melhor das três e o sétimo episódio da mesma o melhor de todos, seguido pelo último episódio da segunda temporada.
series março

Músicas:.
O que eu mais ouvi…

Por hoje é isso!
Inté!

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Especial, Retrospectiva

Tag: Jantar Literário

Voltei para dar uma varridinha, passar um pano úmido e lustrar o blog, com uma tag criada por um canal gringo e traduzida pela Desi Gusson do AndhromedaG. Funciona da seguinte maneira: será dada uma festa, um jantar na verdade, e eu serei o responsável por selecionar os convidados de acordo com um perfil pré estabelecido. Vamos começar que a coisa se auto explica.

LISTA DE CONVIDADOS:

1. Um personagem que pode cozinhar.
Tenho percebido que as personagens não se alimentam nos livros, foi difícil encontrar alguém que tivesse dons culinários suficientemente bons para servir o jantar aos meus convidados. Até pensei em contratar os serviços do restaurante no fim do universo, mas acabei convidado os olhos azuis de Sayuri (de Memórias de uma Gueixa), porque além de servir saquê, ela também poderia entreter os convidados com seu shamisen.

2. Um personagem com dinheiro para bancar a festa.
Muitos o conhecem, a maioria só de ouvir falar, mas eu sou intimo, amigo de anos do grande sr. Gatsby, que vai bancar o nosso jantar.

3. Um personagem que pode causar uma cena.
Cheguei a escrever no convite, em letras garrafais, o nome do sr. Policarpo Quaresma; mas ele certamente iria se recusar a comer uma  comida que não fosse tradicionalmente brasileira, e isso seria muito deselegante. Por isso, resolvi convidar o sr. Milton, pai do nosso querido Cotoco (de John Van de Ruit), que com certeza não causaria tanto quanto o velho nacionalista, iria no máximo beber litros de saquê e só o diabo sabe o que faria depois.

4. Um personagem que é super popular.
Claro que eu não deixaria de convidar o presidente Zaphod Beeblebrox (de O Guia do Mochileiro das Galáxias), ele iria cumprimentar  abraçar e beijar a todos como se os conhecesse desde a criação do universo, enfim, traria entrosamento à confraternização. No entanto, receio que ele tente se aproximar mal intencionadamente da Sayuri e/ou que se junte ao pai do Cotoco na bebedeira e cause ainda mais problemas.

5. Um personagem que é engraçado/divertido.
Zaphod poderia muito bem ser convidado duas vezes, um convite para cada uma de suas cabeças.

6. Um vilão/vilã.
Mandei um pombo branco enviar um convite para Cersei Lannister (de A Guerra dos Tronos), mas ela se recusou a aceitar, grossa, disse que queria minha cabeça pendurada nos muros de Porto Real. Então, resolvi fazer a social com a Rainha de Copas (de Alice no País das Maravilhas), que super entusiasmada com o convite, sugeriu cabeça de coelho como prato de entrada.

7. Um casal (não precisa ser par romântico).
Para gerar aquela polêmica, convidei Bento Santiago e seu melhor amigo Escobar. Sério, em todas as vezes que li Dom Casmurro, estranhei a relação destes dois.

8. Um herói/heroína.
Meu herói não é de outro planeta, não é resultado de experiências científicas do governo norte americano, não foi picado por nenhuma aranha, não é um pássaro nem um avião, mas atravessou todo o oceano atlântico em um pequeno barquinho. Amyr Klink (de Cem dias entre céu e mar) certamente terá muita história para contar. Disse a ele para trazer o Alcebíades ;)

9. Um personagem subestimado.
O grilo falante (de As Aventuras de Pinóqui0) confirmou que virá para o jantar, pretendo nomeá-lo a consciência do sr. Milton (pai do Cotoco), ou do Zaphod. No livro não é lhe dada tanta importância, não tanta como a que tem no longa de animação da disney, aparece em pouquíssimas páginas por sinal.

10. Um personagem de sua própria escolha.
Lucíola (de José de Alencar), quem sabe não rola alguma coisa entre a gente depois que todos os convidados forem embora!?!

Jantar Literário do LC

Eu, o anfitrião, sentarei na ponta da mesa, do lado oposto a Gatsby, o cara do dinheiro. Quero Lucíola e Amyr Klink ao meu lado, para bater um bom papo, contar histórias e tal. O Grilo falante sentará em frente ao Zaphod e ao lado do Sr. Milton, para aconselhar ambos a se controlarem. Bento Santiago e Escobar sentarão um em frente ao outro, só na troca de olhares. A Rainha de Copas ficará lá no canto inferior direito, bem longe das cabeças do Zaphod, para evitar decapitações em minha festa. Sayuri senta na cadeira que sobrar. E assim será!

Por hoje é isso!
Inté!

ps: ninguém me tagueou porque sou forever alone :(

1 comentário

Arquivado em Especial

Fazendo a social.

Olá, voltei para responder a uma tag que me foi passada pelo blog Era Uma Vez, e criada pela Erica Bosi do Leia Sempre. A tag (ou meme, não sei) é bem simplesinha e consistem em mencionar quem a enviou (done), indicar dois livros (no mínimo) que leu em 2012 e gostou, indicar três livros (no mínimo) que deseja ler em 2013, e oferecer a tag a mais 10 pessoas/blogs.
2013LITERÁRIO-+LEIASEMPREEnfim, resolvi responder porque como este blog é recente, tem muita coisa que eu li em 2012 que ainda não foi compartilhada por aqui, então, esta é uma boa oportunidade para falar sobre livros que li antes do surgimento do Leitor Compartilhado, lets go!

*Livros que li em 2012 e gostei:.

roshomon‘Rashomon e outros contos’ do Akutagawa. Tenho uma mania, sempre que descubro que um filme que tenho vontade de assistir foi baseado em um livro, saio loucamente atras da obra. No caso de ‘Rashomon e outros contos’, este é o livro que deu origem ao famoso filme do grande Akira Kurosawa. Por esquecimento eu acho, ainda não vi o longa, mas pelo que andei pesquisando, o conto que deu origem ao filme, não é o que dá nome ao livro, mas ambos tem basicamente o mesmo título;  isto nem é de importância, então, leiam o livro porque é ótimo! Ryūnosuke Akutagawa é considerado o pai do conto japonês, famoso por explorar o lado negro da natureza humana, cometeu suicídio aos 35 anos de overdose.

6579517G1‘Ficções’ de Jorge Luis Borges. Li meu primeiro Borges no início de 2012. Criei toda uma expectativa, que não foi superada confesso, porque era imensa, mas alcançada pode-se dizer que sim. É inegável que o cara é de um cultismo imenso, as ideias de alguns contos podem parecem simplistas a princípio, mas ao longo do texto você vai se aprofundando e acaba percebendo que não está mais no raso, é genial. Destaque para ‘Funes, o memorioso’, é um dos contos que mais gosto na vida e é facilmente encontrado na internet. Uma coisa curiosa que eu gostaria de compartilhar: é engraçado como determinados assuntos são recorrentes em diferentes contos do altor, isto gera uma sensação de que os contos são interligados, ou que tem relação, enfim, está aí um autor para conhecer a obra completa.

punchO terceiro e último livro que quero indicar é o incrível ‘A Comédia Trágica ou Tragédia Cômica de Mister Punch’ de Neil Gaiman e Dave Mckean. Foi através desta Graphic Novel que eu conheci o mundo das Graphic Novels, e o mais importante, que eu conheci Neil Gaiman. O cara tem o dom de contar uma história, suas ideias são daquelas que fazem o leitor pensar: como ninguém pensou nisto antes? Sem dúvida é um dos meus autores favoritos, fantasia na medida certa. Além disso, as ilustrações do Mckean são inacreditavelmente lindas, e tudo isso por R$ 9,90 no submarino, creia. Coisas frágeis também é sensacional ;)

*Livros que desejo ler em 2013:.


2013

1. ‘A Louca da Casa’ da Rosa Monteiro. Porque um dos primeiros vídeos da Denise do Meus Olhos Verdes foi todinho sobre a autora. Vou seguir a indicação e conhecê-la este ano.

2. ‘Luna Clara & Apollo Onze’ da Adriana Falcão. Porque li um trechinho na internet e me pareceu o tipo de coisa que Douglas Adams escreveria. Obs: acredito que não tenha nada a ver com o DA, mas li um paragrafo que me lembrou muito o sarcasmo dele.

3. ‘O Deus das Pequenas Coisas’ de Arundhati Roy. Porque nunca li nada de literatura indiana, eu acho.

4.’Um Homem Só’ de Christopher Isherwood. Porque a Luara do Isaac Sabe gostou muito dele.

5.’Uma Mulher Vestida de Sol’. Porque é um Ariano Suassuna e o título é lindo.

6.’O Senhor das Moscas’ de William Goldding. Porque dizem haver relação com a série Lost.

7.’A Paixão Segundo G. H.’ Porque li apenas um Clarice Lispector na vida.

8.’Carrie, A Estranha’ por que o desafio literário está me obrigando nunca li Stephen King.

*Blogs indicados para responder a tag:.
Quero indicar ninguém não.

Vlw Era Uma Vez por lembrar de mim ;)
E por hoje é isto, até mais ver!
ps: A primeira imagem do post é uma coisa chamada selo, que não sei para que serve, sorry.

4 Comentários

Arquivado em Especial

Balanço do mês [Janeiro de 2013]

Relativamente atrasado, voltei para compartilhar o que li no mês que acabou de acabar, o que assisti, o que ouvi; enfim, foram poucos os livros, muitos os filmes, quase nada de séries (terminei a 3ª temporada de The Big Bang Theory apenas) e muita música boa. Antes, uma observação, não sei se alguém foi capaz de perceber, mas não teve Balanço do mês de dezembro, o fato é que o último mês do ano é sempre complicado; eu estava a um passo de alcançar as minhas férias, o natal estava próximo e a festa de ano novo também, e não consegui me organizar de modo a registra todas as minhas atividades, logo, não pude compartilhá-las. A partir de agora, para todo mês será feita uma breve retrospectiva, só não garanto para o mês 12 ;)

Livros:.
Em Janeiro li três livros dos mais finos que há, se não estou enganado, nenhum deles supera 200 páginas. Detalhe, um deles é da coleção 64 páginas. Mas por que eu li tão pouco assim? Eu explico, pode deixar, porque A Guerra dos Tronos está me tomando maravilhosos 2 mêses de leitura. Já fiz post sobre os três livros do mês, estes que foram intercalados entre os capítulos do grandalhão da Leya, e em poucos dias acabo com o livro 1 de George Martin e compartilho minhas impressões.
Livros janeiro

Sobre ‘O Mistério de Marie Rogêt’ de Edgar Allan Poe:. aqui
Sobre ‘Nihonjin’ de Oscar Nakasato:. aqui
Sobre ‘O Seminarista’ de Bernardo Guimarães:. aqui

Filmes:.
Minhas ferias acabaram no dia 22 de janeiro, e durante estes dias do mês 01 assisti a 11 filmes. Posso afirmar que o único filme ruim da lista é Prometheus, que na minha opinião pecou muito em roteiro, de resto ele é uma grande produção. ‘Django Livre’, ‘Life of Pi’ e ‘Cloud Atlas’ eu vi no cinema, o primeiro é extremamente irônico (um tarantino puro sangue) mas ainda prefiro ‘Kill Bill’ e ‘Bastardos Inglórios’; o segundo tem uma moral muito bonita, ótimos efeitos de computação gráfica, mas me cansou um pouco; e o terceiro é  bastante corajoso, por horas lacônico, e por outras explicativo demais, mas um ótimo filme com uma ótima montagem. ‘Hora de morrer’ tem uma fotografia imponente (em p&b). ‘E se vivessemos todos juntos’ e ‘Intocáveis’ são divertidíssimos e belos. ‘Holy Motors’ é genial, repleto de simbologia e cenas icônicas, além de uma atuação impecável do protagonista. ‘O impossível’ é sofrível demais de assistir, ‘Indomável sonhadora’ é lindamente singelo, e ‘Ferrugem e Osso’ é legalzão.

filmes janeiro

Música:
O que descobri em janeiro e/ou tenho ouvido recentemente: Ellen Oléria é aquela que com com sua brasilidade e voz imensa venceu o The Voice Brasil. Rodrigo Panassolo me lembra muito Djavan. Renato Goda tem um disco todo muitíssimo bom, com uma característica bem francesa. Katia B. tem essa melodia incrível. Roberta Sá e seu agudo gostoso. Fernanda Takai, goxto muito de voxê. E por fim, Fábrica, uma banda com muita música boa.

Então, é isso que queria compartilhar sobre o meu janeiro.
Sugestões de novas categoria são bem-vindas e super bem tratadas, não precisam nem tirar os sapatos.
Por hoje é isso!
Até breve!

10 Comentários

Arquivado em Especial, Retrospectiva

Tag: Os 7 pecados literários.

Depois de todos os seres vivos do youtube, incluindo os invertebrados e unicelulares, já terem respondido a esta tag, chegou a minha vez. Consiste em 7 perguntas, vamos a elas:

1. Ganância. Qual o seu livro mais caro e o menos caro?
Não costumo comprar livros caros, de uns tempos pra cá só tenho aproveitado promoções. A probreza chegou aqui e parou, mas nem sempre foi assim, lembro-me que há alguns anos, acho que estava no ensino fundamental ainda, eu ficava quase um mês guardando o dinheiro do lanche do colégio para comprar um livro. Certo mês juntei 45 reais, e comprei ‘Uma Breve História do Mundo’ de Geoffrey Blainey, é o meu livro mais caro.

2.Ira. Com qual autor você tem uma relação de amor é ódio?
Já devo ter comentado a respeito disso por aqui. Tenho um relacionamento conturbado com José de Alencar. Li ‘Senhora’ e não gostei, li ‘Como e porque sou romancista’ e odiei, li ‘Ubirajara’ e não gostei’, li ‘Iracema’ e até achei legalzinho’, li ‘Lucíola’ e me apaixonei. Depois de ter odiado os 4 primeiros livros do autor, encontrei ‘Lucíola’, um livro sensacional que não poderia ficar de fora da minha lista de favoritos.

3.Gula. Que livro você devorou sem vergonha alguma?
A maioria das pessoas que vi respondendo a esta tag afirmaram quem não sentem vergonha alguma em devorar um livro, não posso dizer o mesmo, sou um ser vivo cheio de preconceitos literários. O fato é que eu devorei ‘Crepúsculo’, isso mesmo, me desculpem se os decepcionei, but this is the truth. Naquela época o livro ainda não tinha a fama que conquistou, havia sido recém lançado e não se falava tanto a respeito. Não tive vergonha nenhuma em devorá-lo, mas hoje, teria com certeza.

4.Preguiça. Qual livro você tem negligenciado devido a preguiça?
São tantos, ‘Tieta do Agreste’ de Jorge Amado, ‘A Chama da Rainha Loana’ do Umberto Eco, ‘Ficção Reunida’ de Lúcia Miguel Pereira,   ‘Deuses Americanos’ do Neil Gaiman, enfim, todos com mais de 500 preguiçosas páginas.

5.Orgulho.Que livro tem mais orgulho de ter lido?
Tenho muito orgulho de ter lido ‘Anna Karenina’ do Tolstói, e principalmente de ter gostado bastante. O Livro é enorme, clássico dos clássicos, e todos deveriam ler um dia.

6. Luxúria. Que atributos você acha mais atraentes em personagens masculinos ou femininos?
Olha só o Leitor Compartilhado revelando taras. Adoro mulheres orientais, pronto falei.

7.Inveja. Que livro você gostaria de receber de presente?
Todos, pode? Não, não pode, vamos parar de pecar roubar e responder corretamente as perguntas. Já que é para citar um, sonharia ganhar de presente ‘O Diário de Frida Kahlo’ que a Ju Gervason tem e eu não :( #inveja

Por hoje é isso!
Até mais!

4 Comentários

Arquivado em Especial

Você tem que ouvir isso

Já comentei no post sobre os livros que ganhei de presente de natal, a respeito do ‘Você tem que ouvir isso’ de Luiz Cesar Pimentel. A ideia do trabalho é ótima, e resolvi participar da brincadeira também. No livro, foram publicadas listas de músicas, feitas por personalidades como Nando Reis, Tulipa Ruiz, Ronaldo Fraga, e muitos outros. Na lista devem conter 20 músicas, que por algum motivo, você acha que os outros devem ouvir; ou então, que tenham algum significado importante. Enfim, fiz a minha lista. Antes, duas observações: em geral escolhi músicas que estou sempre ouvindo e, não organizei a lista por ordem de preferência.Captura de Tela 2011-12-04 às 6.10.52 PM

1. Elephant Gun – Beirut
Adoro os arranjos dessa banda, o estilo e tudo mais. A melodia de Elephant Gun é indescritível, sem mais comentários.

2. Suite dos Pescadores – Dorival Caymmy
Prefiro essa música interpretada por Lenine junto com Monobloco, mas Caymmy também é gênio.

3. Roda viva – Chico Buarque
Desde que comecei a fazer a lista, estava certo de que pelo menos uma música do Chico iria estar aqui. Quase escolhi ‘Olhos nos olhos’ ou ‘O meu amor’, mas ‘Roda viva’ tem uma força, uma coisa que não sei explicar, sem falar do contexto histórico que ela questiona.

4. Alegria, Alegria – Caetano Veloso
Para mim, o maior cantor da música brasileira, não tem igual. Adoro as músicas tropicalistas do Caetano. ‘Tigresa’ poderia facilmente estar no lugar de ‘Alegria, Alegria’.

5. Pra não dizer que não falei de Flores – Geral Vandré
Apesar do refrão estar meio manjado, continua sendo uma das letras que mais me emocionam. As músicas das décadas de 60, 70 e 80, que de forma subliminar, ou não, combatiam o governo dos militares, têm um espacinho certo no meu coração.

6. Semáforo – Vanguart
É bastante provável que Vanguart seja a minha segunda banda preferida, depois de Los Hermanos é claro. Incrível a voz do vocalista, as letras melancólicas, solitárias e depressivas. O folk nacional esta seguro com Vanguart. A discografia toda deles é boa.

7. Preparando o Salto – Siba
Uma verdadeira poesia a letra dessa música, sem mais.

8. Tudo que eu sempre sonhei – Pullovers
O disco dessa banda só tem música boa, ouvia muito quando estava no ensino médio. A letra dessa música é grandona, mas fiz questão de decorar tudinho e sempre cantá-la inteirinha na maior empolgação.

9. Ouvidos ao Mistério – Leo Cavalcanti
Para mim, uma das maiores promessas da música brasileira. As composições desse cara são inacreditáveis, uma letra mais linda do que a outra. ‘Ouvidos ao Mistério’ é a melhor, acredito.

10. Regresso – Cesaria Évora e Caetano Veloso
Uma das músicas mais lindas que conheço, interpretada por duas grandes vozes.

11. O papa, o cão, a alfama – Luiz Gabriel Lopes
Uma descoberta recente, que entrou para os favoritos rapidamente. Melodia perfeita.

12. Homem Velho – Cidadão Instigado
Sotaque nordestino, acho ótimo. Essa música parece brincar com o bizzaro, não sei explicar, mas tem algo de muito estranho nela que me cativa.

13. Desmantelado – Graveola e Lixo Polifônico
Uma brincadeira com vários ritmos. Uma das minhas bandas preferidas também.

14. Sopro do Dragão – Phillip Long
Fiquei numa dúvida imensa entre duas músicas desse cara, ‘Sopro do Dragão’ e ‘When the stars Collide’. Phillip Long lançou 5 discos em um ano, sendo apenas um deles em português. Um dos maiores artistas do Brasil, e viva o folk!

15. Sonho Colorido de um Pintor – Tom Zé
O que falar dessa música? Simplesmente, uma das letras mais lindas que há.

16. Tarantino, meu amor – Bruno Batista
Quentin Tarantino, Stanley Kubrick e Pedro Almodóvar, meus diretos favoritos. A cara do Tarantino essa música. Bruno Bastista tem o disto todo, todinho, inteiro, muito muito bom.

17. Crua – Otto
É a única música que gosto do Otto, mais uma vez o sotaque nordestino rs. Acho essa música incrível, visceral e humana.

18. Condicional – Los Hermanos
A minha vontade era por vinte músicas do Los Hermanos nessa lista, mas resolvi escolher apenas uma para representar a banda. Quase foi ‘Dois Barcos’, ‘Conversa das botas batidas’, ‘O Vento’, ‘Moça’, ‘Morena’ ou qualquer outra, mas no fim, optei por ‘Condicional’.

19. Zuza Zapata – Carnaval de Luxo
Mais uma descoberta recente, um sambinha maravilhoso. Ouça ‘Ista’ também, é ótima.

20. Sina Nossa – O Teatro Mágico
Não podia faltar O Teatro Mágico.

ps: Como podem perceber, não curto muito música internacional, com exceção da música francesa. E pra não dizer que não roubei, vou deixar uma a mais de bônus, do incrível Yann Tiersen.

Por hoje é isso!
Inté!

Deixe um comentário

Arquivado em Especial