Arquivo da tag: dia do escritor

25 de julho – Dia do escritor

Olá pessoas!
Este post deveria ter saído ontem, em função do dia do escritor, mas a internet me presenteou com sérios problemas onde grande parte do post foi perdida. Então, em homenagem, mesmo que atrasada, a estes agentes de viagem, o leitor compartilhado vem listar  os escritores que admira.

Gostaria de deixar claro, que há cerca de 5 anos fui apresentado ao mundo literário. Posso considerar os três primeiros uma fase de conhecimento e adaptação, e o último, uma fase de aprofundamento e amadurecimento. Contando com cerca de 150 livros lidos até então, (número não orgulhosamente apresentado pois revela uma média de aproximadamente 30 livros por ano; gostaria de ler mais), devo ressaltar que ainda não tive a oportunidade de ler muitas obras de cada autor, logo, o motivo que levou cada escritor a estar presente na listagem abaixo pode estar relacionado a leitura de um único livro apenas. Problema que será corrigido com o tempo, quando eu puder conhecer profundamente a vida literária de cada autor. Vamos á homenagem:

Antoine de Saint-Exupéry
Claro que ele está aqui por causa de ‘O pequeno príncipe’. Exupéry traduziu a inocência, atingindo o ápice da doçura e beleza. Além de tudo ele é um ótimo ilustrador. Morro de vontade de ler ‘Terra dos homens’, ‘Voo noturno’, ‘Cidadela’ (este em especial) e ‘Correio Sul’, enfim, tudo desse cara.

Carlos Drummond de Andrade
Por algum motivo, eu raramente leio livros de poemas. Um dos primeiros escritores a me apresentarem a poesia foi o Drummond, e com ele me encantei verdadeiramente. Ainda não tive a oportunidade de ler um livro dele, mas quando puder, certamente vou encontrar muita coisa conhecida por lá, pois costumo ler suas poesias, avulsas mesmo, na rede.

Luis Fernando Veríssimo
Li um único livro do Veríssimo, chamado ‘O opositor’, o livro é ótimo por sinal, mas por si só não faria o escritor figurar entre os meus favoritos. A questão é que acompanho assiduamente a coluna que assina duas vezes por semana na Gazeta do Povo (jornal paranaense). E este é o motivo da ilustre presença dele aqui. Suas crônicas são ótimas e os temas sempre relevantes, tudo isso temperado com muito humor e pitadas exageradas de genialidade.

Juan Rulfo
Este escritor mexicano é um exemplo de como um autor entra nesta lista com apenas um livro lido por mim. Na verdade, ninguém leu mais de duas obras do escritor, isso é tudo que ele publicou em vida. Sua narrativa e a sua escrita são raras de fato. Estas características foram comprovadas em ‘Pedro Paramo’ um livro fininho de beleza inigualável. Muito recomendo esta obra para quem quer se deparar com um escritor que prende pela maneira de contar uma história.

Christian Jacq
Autor da série Ramsés, Jacq me fez devorar seus 5 livros em praticamente um mês (uma semana a mais na verdade). Os livros são relativamente extensos e detalhadamente escritos. Admiro absurdamente a capacidade criativa do autor, que criou uma das melhores séries que já li (talvez a segunda melhor). Apesar do fundo histórico, a coleção Ramsés é ficcional.

Paulo Coelho
Com 7 livros lidos e 3 livros na minha estante, o apedrejado Paulo Coelho significa uma leitura agradável e que não precisa, nem deve, ser vista como alta literatura, porque não é. Afirmo que muitos dos que criticam estão enxergando seus livros de forma indevida, e recomendo que leiam ‘Veronica decide morrer’. Também já li ‘Onze minutos’, ‘O demônio e a srta. Prym’, ‘O Alquimista’, ‘O diário de um mago’, ‘O vencedor está só’ e ‘Na margem do rio piedra eu sentei e chorei’.

Machado de Assis
Apesar de ter dúvidas se este trata-se do meu escritor favorito, Machado acabou se tornando, nada forçadamente, uma fascinação. No início deste ano comecei a colecionar as obras do Machado, para quem sabe um dia, cumprir minha meta de ler a obra completa do bruxo. Conto com 10 obras do autor na minha estante, sendo que li apenas 5 até o momento, desconsiderando alguns contos. ‘Esaú e jaco’ foi meu primeiro contato com a escrita do autor, e por ter lido prematuramente, não trago muito da obra comigo. ‘Dom casmurro’ é sem dúvida o meu favorito pois carrega uma narrativa unicamente envolvente e sedutora, tanto que foi lido 3 vezes. Também já li ‘O alienista’, ‘Memórias póstumas de Brás Cubas’ (pretendo reler este ano) e ‘Contos fluminenses’.

Mia Couto
Um único livro tornou este autor moçambicano um dos meus preferidos da atualidade. ‘Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra’ mora no pedestal reservado ao melhor livro do ano (até então). A narrativa é lindamente encantadora, simplesmente fantástica. Estou loucamente desesperado para ler outras obras do autor.

Douglas Adams
No final do ano passado e início deste ano, passei por um momento muito importante da minha vida literária, que foi a leitura dos 5 livros mais famosos do mundo nerd (exagero?). A série do Guia do Mochileiro das Galáxias é um caso difícil de relatar, tamanho estado de êxtase que ela proporciona. Sem dúvidas, as melhores aventuras da galáxia e os personagens mais bizarramente engraçados do cosmos foram criados por esta mente genial.

Das considerações finais. Tentei relacionar 10 escritores, mas optei por não inserir, mentirosamente (ou não, não sei), um último. Terenci Moix e  Descartes podem-se considerar parte da lista, o fato é que foi difícil solucionar este impasse.  Outro detalhe é o seguinte, estes 9 escritores podem ser facilmente movidos de posição, até houve uma tentativa de organizar em ordem decrescente de favoritismo. Mas, se escolhê-los já foi difícil, ordená-los é impossível. E mais uma vez não cumpri a promessa de ser sucinto na escritura.

Sintam-se a vontade para comentar sobre seus escritores favoritos e homenagear esta classe maravilhosa de profissionais, ainda da tempo rsrs. Críticas sempre ajudam pois refletem uma análise distanciada, que não consigo ter, daquilo que escrevo. Espero que gostem, até mais!

Deixe um comentário

Arquivado em Especial