Nihonjin [Japonês]

Minha edição de 'Nihonjin'. de Oscar Nakasato, pela Benvirá.

Minha edição de ‘Nihonjin’. de Oscar Nakasato, pela Benvirá.

E a leitura de A Guerra dos Tronos continua, neste último dia quinze fez um mês que estou lendo o livro, e recém passei da metade ¬¬ Como os passos estão mais vagarosos que o disco da Céu, resolvi intercalar um livro diferente nesse meio de conflitos políticos, tronos e reinados. ‘Nihonjin‘ do maringaense Oscar Nakasato foi o responsável por me tirar temporariamente das terras dos lobos, dragões, gelo e fogo.

Os escravos haviam sido recém libertados, os fazendeiros de café necessitavam de mão de obra para a colheita, com isso, muitas famílias japonesas imigraram para o Brasil, neste caso, para o interior de São Paulo. Hideo Inabata foi mais um dos nihonjins que junto com a esposa vieram em busca do dinheiro vasto que lhes havia sido prometido. Hideo é o nosso protagonista, nacionalista orgulhoso, trabalhador correto e fiel ao imperador do Nihon, demonstra imensa dificuldade em aceitar sua atual condição e a nova terra que lhe sustentava. Do seu segundo casamento nasceu Haruo, menino documentalmente brasileiro, que sofre uma crise de identidade devido as divergentes nacionalidades impostas pelo estado e pelo pai, e que quando grande, depois de ter se mudado para o bairro da liberdade na grande São Paunilo, é reprimido pela comunidade japonesa por assumir sua verdadeira terra natal. Hideo também dá origem a Sumie, que para desgosto do pai, foge com um brasileiro, deixando para trás o fruto de seu antigo casamento, o narrador da história.

Este é mais ou menos um panorama da trama desenvolvida durante as poucas 175 páginas. Esta possível falta de páginas acaba gerando certa desorientação durante a leitura, uma vez que em diversas vezes nos deparamos sobrevoando um abismo temporal enorme, e as margens deste abismo podem ser duas ou três palavras. Preferi ver esta questão pelo lado positivo, em momento algum o autor subestima a inteligência do leitor, acontecimentos importantes da história são lançados às páginas abruptamente, e muitas vezes de forma não tão direta, o que ao meu ver é deveras mais interessante do que uma história didaticamente apresentada. Além de tudo isso, considero o ponto forte do livro, a voz que ele dá a um momento histórico mudo na literatura nacional. Quero dizer que a forma como foi abordada a imigração japonesa, na perspectiva de um nihonjin, contando suas dificuldades de adaptação, seus ferimentos no orgulho, seus confrontos culturais e diversas outras barreiras e atitudes que tiveram que ser ultrapassadas e readequadas, foi de grande importância como forma de registro.

Dos motivos que me despertaram a vontade de ler ‘Nihonjin’. A capa é linda como poucas, o autor é oriundo do mesmo estado que este que vos escreve, e por último, uma polêmica. Sim, este é o controverso vencedor do mais recente prêmio jabuti de literatura, haja vista que a confusão relacionada ao jurado C botou em dúvida a credibilidade da instituição organizadora da premiação e consequentemente do escritor. Não sou capaz de afirmar se a vitória do Oscar Nakasato foi justa, pois não li os romances concorrentes, mas afirmo que o texto de sua obra é lindo, de muito conteúdo e que merece ser lido.

ps1:. Gostaria imensamente de assistir esta história nas telonas dos cinemas. A escrita do autor é bastante visual, e conta com uma das cenas mais lindas que já imaginei lendo um livro.

ps2:. Como o tema do mês de janeiro do desafio literário 2013 é livre, esta “resenha” (odeio esse termo) será a representante do Leitor Compartilhado este mês.
Desafio Literário 2013

Rendeu 4 estralas no skoob!
Literatura nacional contemporânea de qualidade é sempre bom ;)
Por hoje é isso, até mais!

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Leituras Concluídas

5 Respostas para “Nihonjin [Japonês]

  1. A temática não me interessa tanto mas como sempre fiquei curioso e com vontade (AI BOLSOS) este blog me levará a falência HAUAHUAHAUHA. Quanto a Game of Thrones: …. Apenas.
    Tenho medo de livro grande demais por isso, acaba atrasando a lista de leitura voce morre e não acaba kkkkkkkkkk.

    Abraços :D

  2. Gostei muito de sua resenha!

    Toda a polêmica do Jabuti acabou me deixando bem curiosa para ler esse livro (como aconteceu quando houve a polêmica do Chico Buarque). O tema não dos mais atraentes para mim, embora tenha a ver com minhas raízes, mas deve ser interessante. :)

    • Você não é a primeira que comenta que o tema não é dos mais atraentes. Eu sempre me interessei pela cultura oriental, volta e meia leio um livro ambientado no Japão, China etc… Mas nunca havia lido um livro sobre a vida de um imigrante japonês em solo brasileiro, fiquei muito curioso e adorei o resultado da obra ;)

  3. Pingback: Balanço do mês [Janeiro de 2013] | Leitor Compartilhado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s