Grandes Esperanças de Charles Dickens

Minha edição de Grandes Esperanças, de Charles Dickens, pela abril coleções.

Comecemos. Neste clássico, o britânico Charles Dickens empresta sua narrativa ao pequeno Pip, menino órfão, criado pela irmã mais velha e seu marido Joe e de posição bastante humilde, que em um certo dia, acaba sofrendo uma ascensão social demasiado rápida, foram-lhe dadas esperanças na vida, grandes esperanças. Além disso, o longo texto também se aprofunda em inúmeras outras situações da vida do protagonista, como o seus sentimentos pela menina Estella, seus arrependimentos, dentre outros.

A primeira coisa a me chamar a tenção no livro foi, sem dúvidas, a narrativa do autor, o cara tem uma escrita absurdamente envolvente e bem humorada. A segunda coisa que me fisgou, foi uma das personagem mais cativantes que já encontrei na literatura, o Pip (pelo menos quando criança), ele é simples e ingênuo, mas de uma esperteza sensacional. Como o livro é narrado em primeira pessoa, ficamos sabendo muito sobre os questionamentos e tudo mais que se passa na cabeça dessa criança, e a maneira como o Dickens nos mostra isso é ótimo, de verdade rsrs.

Outra coisa que eu queria destacar, é a importância das personagens na construção desta história. Além do Pip, outros dois (no mínimo) são igualmente incríveis. O primeiro deles é a senhorita Havisham (a quem Pip “trabalha” apenas fazendo companhia), um ser icônico, excêntrico ao extremo, e responsável pela criação de Estella. Outro personagem que fez carinho no coração foi o Joe. É muito muito muito infinitamente muito lindo acompanhar a relação dele com o Pip, é um sentimento mais do que especial, um companheirismo gigantesco, como amor de pai. Enfim, outros muitos personagens também são bastantes marcantes, como a Biddy, a irmã do Pip (que o criou com as próprias mãos, vale destacar), o “prisioneiro” e etc…

A partir da segunda parte a maionese começa a desandar. Calma aí, não é bem assim. O fato é que a obra é dividida em três grandes partes. Sendo a primeira delas responsável por nos apresentar a infância de Pip no brejo, na segunda a sua formação em Londres, e a terceira a descoberta do seu “tutor” (aquele que lhe deu esperanças). Particularmente, achei a primeira parte muito mais interessante do que as outras, é triste ver aquela criança da primeira parte crescer, e entrar em choque com uma série de conflitos já da fase adulta, senti que Pip estava mudado.

Acho que devo parar por aqui, o texto é todo cheio de informação, como se nada fosse desnecessário, logo, não é difícil deixar passar um spoiler. Antes que eu cometa este ato desumano, se é que já não o fiz, opto por parar com o enredo por aqui.

Das considerações finais, afirmo que gostei bastante da leitura, Grandes Esperanças é algo que todo mundo deveria ler em algum momento da vida (assim como Anna Karênina). Mas, devo confessar que tive meus problemas quanto ao tamanho do livro. A minha edição da abril coleções é bastante confortável e tem 653 páginas (contando com as informações finais sobre a vida e obra do autor). Este cara de coruja aqui, resolveu ler três livros ao mesmo tempo, e por fim percebeu que é algo redondamente inviável. Não dei conta, levei quase um mês para ler este gigante, coisa que me desagrada muito. Não gosto de me demorar na leitura de uma mesma obra, por algum motivo ela acaba se tornando relativamente cansativa. No fim, ansiei para que terminasse logo, e fiquei revoltado com a crueldade do autor, ele faz a gente se apegar aos sentimentos das personagens, e termina o livro assim, torci tanto tanto pelo Pip, mas…

Modernização cinematográfica do clássico, por Mike Newell.

E tem outra coisa. Este clássico ganhara mais uma adaptação (na verdade uma modernização) cinematográfica, dirigida por Mike Newell, com a incrível Helena Bonham Carter como senhorita Havisham. A estreia mundial está marcada para o dia 30 de Novembro, mas no Brasil certamente chegara bem mais tarde.

O livro rendeu 4 estrelas no skoob.
Por hoje é isso, até mais ver!

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Leituras Concluídas

4 Respostas para “Grandes Esperanças de Charles Dickens

  1. “[…]e termina o livro assim, torci tanto tanto pelo Pip, mas…” MAS EU PRECISO LER URGENTEMENTE!!!!!!!!!! Pelo jeito parece encantador e as 600 e poucas páginas farão jus ao enredo, curti muito o post quando eu achar essa edição em algum lugar lerei sem pensar. Conheço previamente a historia por causa de O SR. Pip por Lloyd Jones, é um livro baseado no outro muito lindo (e tenso) também.

  2. Reblogged this on Leituras por Aíe comentado:
    Add your thoughts here… (optional)

  3. Estou DOIDA para ver esse novo filme.
    Como você, eu me intriguei demais com a Sr Havisham, apaixonei pelo Pip criança (apesar de que continuei gostando dele depois, mesmo nos seus momentos mais estranhos; afinal ele é humano, demasiadamente humano…) e pelo Joe… Ah, que belo o amor e a simplicidade do Joe!
    E a escrita do Dickens, demais: o cara sabia envolver o leitor!
    ABRAÇOS!
    PS: Eu gostei do final…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s